Pages

10 de fev de 2009

Jônatas e Davi (I Samuel 18:1-4)

Finda a batalha, Saul mandou chamar Davi ao palácio:
— Rapaz, não sei como prestar a você homenagem à altura do que você fez.
— Precisa não, seu Saul…
— Mas precisa sim, precisa sim! Vou pensar em alguma coisa, pode deixar. Enquanto isso, não gostaria de trabalhar aqui comigo?
— Er…
— Que foi, que foi? NÃO QUER TRABALHAR AQUI?
— Não é isso, senhor. É que… Bom, eu já trabalho aqui.
— COMO ASSIM???
— É. Eu toco harpa.
— Mas que bagunça é isto aqui! Ninguém me informa nada! É por isso que Israel não vai pra frente! E você toca harpa na banda do palácio, certo?
— Hum… Mais ou menos isso.
— Pois a partir de hoje você será meu músico particular. Que tal, hein?
— Puxa… Sinto-me honrado, majestade.
— Claro que se sente, claro! E começa hoje mesmo, viu? Pode trazer seus panos de bunda, que agora você mora aqui no palácio.
— Morar aqui? Mas eu tenho família em Belém, majestade.
— Sua família pode vir visitá-lo quando quiser.
— Hum. E meus amigos.
— Também, oras. E aqui você ainda poderá fazer novos amigos, rapaz. Meu filho, por exemplo. JÔNATAS!
— Oi, pai!
— Vem cá! Quero te apresentar o rapaz novo!
Jônatas já conhecia Davi, claro. Mas conhecia mais ainda o pai que tinha, então fingiu que o via pela primeira vez. A verdade é que os dois haviam se tornado grandes amigos assim que se conheceram. Eram confidentes, tinham um senso de humor parecido. Eram ambos malucos, como pudemos constatar em dois episódios: quando Jônatas entrou no acampamento filisteu acompanhado apenas de um empregrado, e quando Davi matou um gigante a pedradas.
Jônatas ficou muito feliz ao saber que seu grande amigo agora viria morar no palácio. Os dois teriam mais oportunidades para suas longas conversas, para as bebedeiras e para a caça às mulheres. Como demonstração de sua alegria, deu de presente algumas de suas coisas: uma capa, uma espada, um arco, um cinto e até sua armadura.
— Pô, Jônatas. Você não sabe que eu não sei usar armadura?
— Sei, por isso mesmo te dei essa de presente. Foi muito engraçado ver você usando a armadura antes de ir lá matar o Golias. Parecia uma pata choca.
— Pata choca é tua mãe.
— Apelou, perdeu!
— Vai tomar no cu.
— No seu, que é mais azul.
— Babaca.
— Sou, mas você me ama.
— Você é meu melhor amigo, caralho.
— Sim, sim. E serei para sempre.
— Mesmo?
— Mesmo.
— Veadagem da porra.
— Hehehehe.
Um belo exemplo de amizade masculina, não é mesmo? A lealdade entre os dois era coisa linda de se ver. Logo veremos o quanto a amizade de Jônatas foi preciosa para Davi.


Jesus me chicoteia

2 comentários:

Postar um comentário

Gostou? Comenta ai.
Não gostou? Comenta ai também.
Não quer comentar? Então comenta.
Sem comentários? Não se faça de difícil, comente.